poema 001

linha

A vida que poderia ter sido e não foi
essa eu não quis
quis aquela outra
a que não poderia nunca ter sido, impossível
de ser sonhada.

Mas eu sonhei e quis mais
destruir o sonho e fazê-lo possível
cabível na palma da mão
e despir a realidade
deixá-la fantasiadamente nua

Sigo a coerência do absurdo
bêbado de sobriedade
escrevendo torto em linha certa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: