poema 009

belo, áspero, intratável.

Tipos clássicos da flora desértica,
mais resistentes que os demais, quando decaem a seu lado,
fulminadas, as árvores todas,

persistem inalteráveis ou mais vívidos talvez.

Afeiçoram-se aos regímens bárbaros;
repelem os climas benignos em que estiolam e definham.

Ao passo que o ambiente em fogo dos desertos
parece estimular melhor a circulação
da seiva entre os seus cladódios túmidos.

Uma resposta to “poema 009”

  1. Jorge Says:

    Trata-se de um pastiche, ou melhor, um palimpsesto sobre um trecho de “Os sertões”, de Euclides da Cunha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: