poema 016

o amor armado

O amor armado se aquartelou em mim
com sua tropa montada em quatro cascos
e sua bandeira estirada de trapos velhos
manchados de rubro desejo carmim.

Com ferro e fogo, embriagado de sangue,
marcou minha pele, afiou os meus pelos,
ouriçou os meus olhos, atinou o meu faro.
Cavalgou-me pra guerra feroz como um tanque.

E, no estreito campo de batalha entre teus rins,
invadindo trincheiras e lábios farpados, eu o vi
alucinado galopar e gritar, uma granada cardíaca na mão,
explodir e exaurir, outra vez, até o fim.

Uma resposta to “poema 016”

  1. Urso Says:

    Acho que é pra isso que serve a poesia…
    Gostei…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: