poema 019

por favor, entenda

Ah,
deixa eu soltar a minha voz
e lembrar aquela música que mais ninguém cantou
outra vez assim.

Eu vou rasgar os meus poemas
e vou queimar todos os meus livros.
Eu vou queimar…
e vou sorrir.

Mas se eu chorar, não se engane,
apenas cante aquela música que ninguém mais cantou
naquele tom.

Eu vou quebrar os meus discos
e vou apagar os meus vídeos.
Eu vou pagar a minha conta
e, antes de ir embora,
vou fazer de conta que minha vida é uma canção.

Quando eu cantar,
eu vou queimar e vou sorrir.
Mas não esqueça: este sorriso
é uma luta.

E se eu chorar, não se espante,
ande, segue em frente.
Eu já paguei a conta
e agora eu vou fazer de conta que minha vida é esta canção.

3 Respostas to “poema 019”

  1. Jorge Says:

    tá pra ser mexida em alguns pontos. mas por enquanto é isso.

  2. Urso Says:

    Tem um jeitão de letra de música…

  3. Jorge Says:

    pequenas alterações em dois versos. mas ainda não sei se eu tiro ou coloco mais uma estrofe, ou se apago tudo.

    Urso: quanto à forma, eu pensei mesmo no texto “canção”. no entanto, um tipo peculiar de canção, sem refrão. exemplo desse tipo é “Travessia”, do Milton Nascimento.
    para mim, há também outros diálogos, mais ou menos descarados. mas, às vezes, acho que o teto de quem escreve é mais pobre que o de quem lê.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: