poema 100

Ainda o Minotauro
caminha pelo labirinto.

Longe da morada de Dédalo,
a cicatriz de Teseu no peito e
o novelo de Ariadne nos dedos.
À luz do dia, o Minotauro vacila.

Os pés machucados pelo asfalto,
os ouvidos assustados por buzinas,
gritos, balas perdidas, um estupro
em cada esquina.

De repente, o Minotauro se esquiva
do carro, do ônibus, do caminhão
e da polícia.

A besta fera foge da pista.
Na calçada, se angustia:
uma criança morre de fome e outra
assassina.

Mais uma cena lhe fere a vista:
sete belos rapazes, sete virgens noivas;
a noite que se estendeu no beco
tinha cheiro de chacina.

Por entre arranha-céus e avenidas,
o filho de Pasifae desatina.
É de dor, de raiva, é de medo
que ele grita.

Assim, notamos que havia,
entre a gente da Cidade,
outro monstro que gemia.

No meio do olhar alheio,
o Minotauro, então, de mim
se aproxima.

Seus olhos ardem,
uma lágrima floresce.
O Sol desce e o príncipe Astérion
se inclina.

Com a cabeça no meu colo,
ele rumina enquanto lhe canto
uma cantiga.

“Esta é a Cidade que os pais
de nossos pais fundaram;
que eu e meus irmãos expandimos;
que os filhos de nossos filhos herdarão.

Esta é a Cidade que construímos
com cimento e sangue
com suor e excremento.

Esta é a Cidade em que vivemos.
É aqui que nos matamos.”

Um velho brada, uma mulher xinga
o executivo escarra, o mendigo se agita,
os estudantes uniformizados gargalham,
a turba em uníssono clama:
“LINCHA!”

***

Mesmo depois de termos comido sua carne,
eu sei que foi o Minotauro quem venceu.
Em nossa boca, ficou o gosto de cinzas e gasolina.
Em minhas mãos, um novelo de lã
branca e limpa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: