Homofobiafobia?

“Homofobia” é um palavra com um efeito bem interessante. Primeiro, ela apaga todas as demais palavras do texto do qual ela venha a se encontrar. Depois, ela dispara um sirene de emergência. Em seguida, ela é prontamente desligada a paus, pedras e (por que não?) lâmpadas fluorescentes pela turba de pessoas que acredita que isso é exagero — diriam até que é frescura de bichinha; mas isso seria homofóbico.

Uma agressão homofóbica, então, é menos agressiva, já que homofobia não existe (para alguns, injustiça social e racismo também não, mas estou digredindo…). Da mesma forma, nas notícias sobre um caso de violência homofóbica, a violência chama menos atenção do que aquela “homofobia” exageradamente impressa no papel, na tela ou na voz jornalística. Diante dessa palavra, pensam os indignados: “Por que isso?! Violência é violência! Esses viado querem se aparecer! Não veem que qualquer um pode apanhar na rua: preto, pobre, viado… qualquer um!”.

Eu até consigo visualizar dois cenários nos quais esse indignado ou defende que não havia esse chilique de homofobia nem tanta violência nos tempos do governo militar ou defende que somos tão democráticos e igualitários que esses dias mesmo, inclusive, comemoramos o primeiro beijo gay numa novela das 8. “Uma vitória da democracia!”

Uma resposta to “Homofobiafobia?”

  1. Jorge Says:

    Um amigo postou no Facebook a notícia cuja manchete era “Polícia prende suspeitos de integrar quadrilha que atacava gays em SP” comentando que há uma sutil economia de uso da palavra homofobia pelos veículos de informação oficiais.

    Este é o link da notícia: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2014/02/policia-prende-suspeitos-de-integrar-quadrilha-que-atacava-gays-em-sp.html

    Este é o comentário do meu amigo: “Engraçado como a Globo conta a história: a única vez que aparece a palavra homofobia é na declaração de uma vítima. Mesmo assim, a Polícia diz: “Não houve uma razão específica de por que mataram o Bruno.”

    E a reportagem (sorry pela tautologia) reporta: “A polícia disse que muitas vítimas acabam não prestando queixa porque não acreditam que vão recuperar o que foi levado pelos bandidos.”

    Não, queridos! As pessoas não prestam queixa porque foram humilhadas e se sentem mais ainda quando apontam que são vítimas de homofobia e ninguém acredita. Outra questão: relacionar o caso com a morte de Kaíque ninguém quer, né?
    Tenho lido muitas matérias e percebo o receio de usar o termo homofobia. Por quê? Cada dia mais acredito que esse jornalismo que insiste em não usar determinadas palavras é, também, criminoso.”

    E esta crônica é minha tentativa de dar algum sentido ao que não têm sentido algum.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: