Archive for the ‘poema’ Category

poema 164

terça-feira, dezembro 5, 2017

dois gumes

todos os homens são mortais
todas as mulheres são mais

poema 163

terça-feira, novembro 28, 2017

“Um dia essa chave não vai abrir mais esse portão.
(Isso já aconteceu)”

e eu acordei desafogado
em marola triste.
a casa de minha vó
ainda submergida em mim.
seus imponderáveis
repousando num oceano fundo e sem nome.
palácio de tranquilidade.
fortaleza de amor.

poema 162

segunda-feira, outubro 23, 2017

não saber o amor

um beijo de língua
no punho que odeia

poema 161

quinta-feira, setembro 21, 2017

há quem veja
na gota a semente
do oceano

poema 160

quinta-feira, setembro 21, 2017

um segundo com o tamanho justo
pra caber na eternidade

e depois outro

poema 159

sexta-feira, julho 21, 2017

copia&cola
poema faz sombra?

tão quão
preto branco
é o
preto. branco?

poema 158

terça-feira, maio 16, 2017

às vezes me pergunto:
para você,

o que não é o outro?

poema 157

quarta-feira, abril 12, 2017

existe um nós
do qual você não é
nem eu

poema 156

quinta-feira, dezembro 15, 2016

às vezes, eu quero é desenretar umas palavras

poema 155

quinta-feira, dezembro 1, 2016

meu desejo tem a força de um beijo

meu desejo
tem a língua de um beijo
meu desejo
tem os olhos de um beijo
meu desejo
tem os lábios de um beijo
meu desejo
tem as narinas de um beijo
meu desejo
tem os ouvidos de um beijo
meu desejo
tem o beijo de um beijo

meu desejo oco
eco tosco
tem um nojo do
meu desejo enjeitado
tem um jeito
e rejeita o que não for
meu desejo escarro
meu desejo porra
meu desejo crasso
meu desejo mato
meu desejo morra
raso ralo cova