Archive for julho \30\UTC 2015

poema 143

quinta-feira, julho 30, 2015

às vezes,
me dou conta
que a língua
não dá conta.

então, poemo.

poema 142

quarta-feira, julho 1, 2015

às vezes, a saudade dói,
mas o amor, sempre ele, abranda.

há anos quero te escrever um poema.
algo singelo que fique
como um afago na lembrança.

como ficou na minha infância
teu riso, tua afliação
e a música de teu nome, Joana.