Archive for agosto \26\UTC 2013

poema 097

segunda-feira, agosto 26, 2013

escrevendo como se não houvesse mais o que escrever, porque eu não consigo escrever mais nada.
escrevendo como se não houvesse ninguém vendo os olhos abertos da cegueira perscrutando por perto.
escrevendo como se não houvesse amanhã, apenas o retorno a um presente atrasado e fatigado de não ser.
escrevendo como se não houvesse nada a esconder em textos quebrados, nem linhas inacabadas.
escrevendo como se não houvesse só a fina sutileza de um traço que fosse muito mais a tela em branco do que poema.

poema 096

quarta-feira, agosto 14, 2013

Procura-se um poema.
Visto pela última vez
em lugar nenhum.

Composto por versos,
uma pequena sombra
de ironia e uma estranha sensação
de alívio
para quem o escrevia.

Seria alegre ou talvez fosse triste.
Tenta ser simples, embora e
sobretudo abrace o nó
do dia a dia, dissolvendo
essa plúmbea densidade
no desenlaço de uma papilônia.

Era incompleto,
está torto
sendo mal acabado.
Mas refletirá Poesia.